Universidade do Futebol

UdoF na Mídia

22/08/2017

Uma escola de sonho

Sócrates, o brasileiro, o jogador de futebol que tinha pincéis no lugar dos pés, que pintou algumas das mais belas obras de arte nas telas verdes dos gramados do mundo disse, um dia, que “com uma bola nos pés a gente muda um país”. Os brasileiros não acreditaram no doutor da bola ou não lhe prestaram a devida atenção; e o país deixou de incorporar em seus perdidos planos educacionais a ferramenta que o gênio da bola sonhou. Os chineses acreditaram no brasileiro ou no sonho do brasileiro, que não era um sonho só seu, mas universal; talvez porque as artes e os pensamentos do Doutor Sócrates lhes tenha chegado por obra da comunicação muda da linguagem dos pés.

Captura de Tela 2017-08-22 às 15.39.04

O atual governo chinês decidiu que o futebol será aprendido por todas as crianças e adolescentes do país em suas escolas, como um dos temas centrais de um projeto de 20 anos de fortalecimento do esporte chinês e de seu povo. E hoje, nada do que vimos representa melhor o projeto chinês que a escola nos arredores de Beijing, a poucos quilômetros da legendária Muralha da China. Visitamos a escola, conhecemos as crianças e seus professores, assistimos a suas aulas de futebol e conversamos com seu diretor, o professor Ji Guiwu. Uma longa e inesquecível conversa. Há 13 anos, muito antes de o governo da China decidir transformar o futebol no carro-chefe de um projeto educacional para todo o país, Jin Zhiyang, o iniciador do trabalho na escola Beijing Yanqing Kangzhuangg, inspirou o projeto e ajudou Ji Guiwu a estimular os alunos e convencer pais e professores de que na sua escola todos deveriam jogar futebol. Apostou-se na ideia de que o poder de encantamento do futebol era tão grande que, em torno dele, todo um grande projeto educacional poderia ser viabilizado. Resistências aconteceram no início e somente 30 alunos se entregaram ao aprendizado do futebol. Com o passar do tempo, porém, essas resistências foram sendo quebradas. Os alunos se divertiam com a prática dessa modalidade esportiva e, aos poucos, foram demonstrando, não só um notável progresso na prática do futebol, como um desenvolvimento escolar acima do esperado. Em 2009 o projeto foi ampliado, chegando a abranger a totalidade dos alunos da escola em 2015. Hoje a Beijing Yanqing Kangzhuangg tem 730 alunos e todos praticam o futebol três vezes por semana, logo após o encerramento das atividades em sala de aula. “Mas o futebol praticado aqui em nossa escola não é só para revelar campeões”, nos disse o diretor Ji Guiwu. “Claro que os talentos serão bem-vindos, mas a nossa pretensão é maior. Queremos que nossos jovens sejam mais que jogadores de futebol; nossos alunos, além de jogar futebol, farão dança, teatro, artes marciais e estudarão a matemática, o mandarim, a história e serão bons alunos”, Ji Guiwu completou. Os anos se encarregaram de mostrar que ele tinha razão e a esperança de que os alunos de sua escola se tornem campeões na vida, aumentou. Aquilo que parecia ser apenas um sonho virou realidade e a escola Beijing Yanqing Kangzhuangg tornou-se uma referência para todas as escolas da região e, acreditamos, para toda a China.

Captura de Tela 2017-08-22 às 15.39.17

O diretor Ji Guiwu pretende agora que sua escola entre na quarta fase de desenvolvimento desse projeto educacional-esportivo. Após receber a comitiva da

Universidade do Futebol e UNICEF-Brasil, ele crê que uma parceria entre essas instituições e a sua escola pode representar a elevação da qualidade educacional do projeto nos próximos anos. Ji Guiwu exerce forte liderança na educação da região em torno de Beijing, uma área que congrega cerca de 40 escolas que adotaram o “beautiful game” como sua inspiração pedagógica. E o diretor ainda nos sinalizou que pretende, com o apoio da Universidade do Futebol, estender às demais instituições escolares os benefícios desse encantador projeto educacional.

Saímos muito animados da visita à Beijing Yanqing Kangzhuangg, que tem o futebol como sua referência. Acordamos fazer nessa escola-modelo uma espécie de laboratório de práticas e teorias a respeito do futebol educacional, integrando os conhecimentos da “pedagogia de rua”, aquela que ensinou aos brasileiros a arte do futebol, e a cultura chinesa. Nos excelentes campos de grama sintética com que o governo chinês equipa as escolas da China atualmente, a Universidade do Futebol quer espalhar a ideia tão bem acolhida pelos chineses: a de um esporte que ensine o futebol a todos, que ensine bem o futebol a todos, e que, sobretudo, ensine mais do que futebol a todos. Nosso saudoso Sócrates Brasileiro, o grande artista da bola, gostaria de ter conhecido a Beijing Yanqing Kangzhuangg, e ficaria feliz vendo seu sonho ser realizado, mesmo que tão longe de sua querida pátria, o Brasil.

Blog do Juca Kfouri

Comentários

Deixe uma resposta