Universidade do Futebol

César Cavinato Cal Abad

18/08/2011

A importância de se quantificar variáveis fisiológicas em conjunto com aspectos técnicos e táticos nos jogos reduzidos

Muito já se discutiu nesse portal a utilização dos jogos reduzidos para melhora de diversos aspectos relacionados às especificidades do jogo. Mas, como escolher o tamanho certo do campo e o número de jogadores de acordo com o que se pretende desenvolver?

Um estudo realizado por Owen et. al. (2011) demonstra que jogadores de elite trabalham fundamentos técnico-táticos diferentes conforme o tamanho do campo.

No estudo, os autores compararam aspectos fisiológicos (frequência cardíaca) e técnicos (choque, dribles, cabeceios, interceptação, passe, recepção, chute, condução de bola e roubada de bola) em jogos reduzidos (3×3 vs 9×9) que constaram de três estímulos de cinco minutos e intervalos de recuperação passiva de quatro minutos.

Os resultados mostraram que o 3×3 apresentou menor número de choques, cabeceios, interceptações, passes, dribles e recepções de bola do que no 9×9. Além disso, a quantidade total de contato com a bola também foi menor no jogo 3×3; porém, em termos relativos, cada indivíduo teve mais contato com a bola no 3×3 do que no 9×9 (p<0,05). O número de chutes a gol também foi maior no 3x3 do que no 9x9 (p<0,05).

A tabela abaixo demonstra os valores encontrados em cada variável analisada:

*Diferente de 9×9 (p<0,05).

A frequência cardíaca apresentou valores médios superiores durante o jogo 3×3 do que 9×9 (90±2.4 vs 81±5.5% FCmáx, respectivamente, p<0,05). O jogo 3x3 também apresentou maior frequência cardíaca de pico (94±2.7 vs 89±4.8% FCmáx, p<0.05.
 

Jogos Reduzidos e Adaptados no Futebol: conheça o novo curso online da Universidade do Futebol! Faça a primeira aula gratuitamente 

 

Em relação ao tempo de manutenção da frequência cardíaca, no jogo 3×3 os jogadores permaneceram menos tempo (0.9±0.5 vs 8.3±1.3 minutes, p<0,05) na zona de frequência cardíaca moderada (71 a 84% da FCmáx) do que na zona de frequência cardíaca máxima (>85% da FCmáx) (13,4±0,64 vs 4,8±1,5 minutes, p<0,05) em relação ao 9x9.

Com esses achados, fica evidente a importância de se quantificar as variáveis fisiológicas durante as sessões de treinamento – não de forma isolada, mas juntamente com os aspectos técnico-táticos. Além disso, de acordo com as capacidades e os fundamentos específicos do futebol que se pretende trabalhar, conclui-se que é imprescindível acertar no tamanho do campo, na quantidade de jogadores e nas regras que vão nortear os trabalhos de jogos reduzidos.

Referências bibliográficas

Owen AL, Wong del P, McKenna M, Dellal A. Heart Rate Responses and Technical Comparison Between Small- vs. Large-Sided Games in Elite Professional Soccer. J Strength Cond Res. 2011 Aug;25(8):2104-10.

Para interagir com o autor: cavinato@universidadedofutebol.com.br

Comentários

Deixe uma resposta