Universidade do Futebol

Colunas

03/11/2017

Campeonato Mineiro merece um Ouvidor

O Estatuto do Torcedor criou o Ouvidor de Competições fornecendo-lhes os meios de comunicação necessários ao amplo acesso aos torcedores

Na última semana foi divulgada a tabela e o regulamento do campeonato mineiro de 2018. A competição será, novamente, disputada por 12 equipes, mas, ao contrário dos anos anteriores, 8 equipes se classificarão para a próxima fase.

Assim, as 12 equipes jogarão em turno único e as 8 melhores disputarão as quartas de final em partida única, enquanto, as semi-finais e a final permanecem disputadas em duas partidas.

Proposta pelo Villa Nova de Nova Lima, a alteração foi aprovada pelos demais 8 clubes do interior. Atlético, América e Cruzeiro votaram contrariamente.

Logo que a novidade foi divulgada, muitas foram as críticas, eis que 11 rodadas serão disputadas para que somente 4 equipes sejam eliminadas, ou seja, serão jogos e jogos praticamente sem motivo.

Conforme estabelece o Estatuto do Torcedor, este regulamento terá que ser mantido para 2019, ou seja, pelo menos 2 anos com 12 equipes disputando 8 vagas.

O campeonato mineiro, que possuía um dos regulamentos mais enxutos do país e garantia a disputa nas duas pontas da tabela até a última rodada, agora, por interesse individual dos clubes do interior, tenderá a ficar sem graça e com menos atratividade.

As competições esportivas precisam adotar fórmulas que atraiam o público e não que facilitem a classificação dos clubes, uma vez que se trata de um produto sedento por um mercado consumidor.

Atento a isso, o Estatuto do Torcedor criou a figura do Ouvidor de Competições ao estabelecer que as Federações designem o Ouvidor, fornecendo-lhe os meios de comunicação necessários ao amplo acesso dos torcedores.

O Ouvidor da Competição tem o dever de recolher as sugestões, propostas e reclamações que receber dos torcedores, examiná-las e propor à respectiva entidade medidas necessárias ao aperfeiçoamento da competição e ao benefício do torcedor.

Ao torcedor deve ser garantido o amplo acesso ao Ouvidor de Competições, mediante comunicação postal ou mensagem eletrônica; e o direito de receber do Ouvidor da Competição as respostas às sugestões, propostas e reclamações, que encaminhou, no prazo de trinta dias.

Ademais, o site da Federação deverá conter as manifestações e propostas do Ouvidor de Competições.

Dessa forma, o torcedor pode enviar reclamações ao Ouvidor do campeonato mineiro questionando a fórmula de disputa e, até mesmo, sugerindo alterações.

Ocorre, entretanto, que, em consulta ao site da Federação Mineira de Futebol, não há indicação do Ouvidor de Competições, nem ampla divulgação de acesso.

Após navegar no site, no “fale conosco” há uma lista de e-mails e entre eles a indicação de um e-mail (ouvidoria.estadual@fmf.com.br).

Destarte, o Estatuto do Torcedor exige a nomeação de um Ouvidor personificado e com amplo acesso, a fim de que o torcedor tenha um canal aberto com a Federação.

O campeonato mineiro, um dos maiores estaduais do Brasil, merece uma Ouvidoria forte atuante.

A Federação Mineira de Futebol que tanto se organizou e se modernizou na última gestão, poderia aproveitar a oportunidade para trazer mais profissionalismo e transparência ao promover as suas competições nomeando um Ouvidor independente e com credibilidade, e que seja o “cara” que cuidará do acesso dos consumidores ao seu evento.

Muito embora outras competições e Federações tenham seu ouvidor (do campeonato brasileiro é o Dr. Roberto Sardinha, por exemplo), não há ampla divulgação de acesso.

Assim, eventual medida da FMF no sentido de incentivar a manifestação dos torcedores e aproxima-los da competição por intermédio de seu Ouvidor além de trazer maior público e engrandecer o campeonato, teria um mega impacto para os patrocinadores.

Quem sabe, não chegou o momento da inovação?

Comentários

Deixe uma resposta