Universidade do Futebol

Colunas

14/02/2018

História é Marketing Esportivo

Como preservar a história e cultivá-la é importante. Contribui para a construção de uma cultura

Dentro desta coluna já foi falado que marketing esportivo tecnicamente trata-se de conceber um produto do esporte para ser disponibilizado no mercado (“market”), pronto para ser consumido. E são vários os que podem ser vendidos e comprados. Entre eles, aqueles que trabalham com história do futebol, seus clubes, federações, ligas…e até mesmo cidades e países! Nessa linha de pensamento estão os museus temáticos, pôsteres e passeios.

Entretanto, como que uma cidade ou um país possui um produto esportivo relacionado à história?

Uma ideia bacana teve a prefeitura de Montevidéu, capital do Uruguai. O país recebeu em 1930 a primeira Copa do Mundo. Logo, lá aconteceu o primeiro jogo e o primeiro gol. Por que não lembrar-se deste primeiro gol e “materializá-lo” de alguma forma? Claro que sim! Entretanto, um problema: o estádio já não mais existe, o antigo campo de Pocitos, onde hoje é uma zona residencial.

O marco do centro do campo (Imagem: Arquivo Pessoal)

 

No entanto, em um trabalho de pesquisa, as autoridades locais conseguiram localizar as ruas, exatamente onde ficava o campo de jogo. No local construíram um marco para o centro do campo e outro para a baliza onde saiu o primeiro zero do placar nos mundiais, com placas em alusão ao feito, ocasião com data e hora.

Placa em referência ao primeiro gol das Copas do Mundo (Imagem: Arquivo Pessoal)

 

Para quem gosta de futebol, lembranças como estas possuem imenso valor. Não surpreendeu quando os moradores da rua disseram que os marcos lá instalados recebem turistas do mundo todo. De longe parecem simples referências, mas de perto percebe-se a grandeza desta lembrança e a importância que teve aquele fato para toda a história do futebol.

Totem em referência à baliza onde aconteceu o primeiro gol da história dos Mundiais (Imagem: Arquivo Pessoal)

 

Lembrar o passado de uma instituição é, acima de tudo, respeito a um patrimônio (material ou imaterial, como no caso). O resgate da história gera cultura, cultura é intrínseca aos valores, que levam à tradição, que geram dedicação e empenho, fatores fundamentais para a vitória. Ou então para uma filosofia vencedora. Orgulho. E uma cidade, através do esporte, tem dado esse exemplo. Se eu fosse de lá, sentiria – bastante – orgulho disso.

Em tempo: o lugar do primeiro gol da história das Copas do Mundo é na rua Coronel Alegre, entre Silvestre Blanco e Charrua, no bairro de Pocitos, em Montevidéu.

 

Comentários

Deixe uma resposta