Universidade do Futebol

Colunas

23/12/2016

Homofobia no futebol

Tema bastante polêmico, a homofobia tem se mostrado presente nos mais diversos setores da sociedade, inclusive, no futebol

Homofobia significa aversão irreprimível, repugnância, medo, ódio, preconceito que algumas pessoas ou grupos nutrem contra os homossexuais, lésbicas, bissexuais e transexuais.

No futebol, muitas vezes, a homofobia se manifesta nas “brincadeiras” e “provocações” dos torcedores.

Mais recentemente, após a Copa do Mundo, a moda passou a ser gritar “bicha” no momento do tiro de meta.

Slider-Site(1)

Para alguns, somente se configuraria homofobia na hipótese do atleta ser, de fato, homossexual. Este foi, por exemplo, o entendimento do TJD-SP (Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo) ao decidir que os gritos de “bicha” proferidos pela torcida do Corinthians para Rogério Ceni, goleiro do São Paulo, não foram homofóbicos.

O fato é que o Código Brasileiro de Justiça Desportiva é uma ferramenta importantíssima no combate à homofobia, uma vez que, eventuais punições aos clubes os estimularia a prevenir atos homofóbicos de suas torcidas.

Ressalte-se que o Estatuto do Torcedor, no inciso V do Artigo 13º proíbe ações discriminatórias racistas e xenofóbicas, mas não faz menção expressa à orientação sexual, por exemplo.

Independente do entendimento, a homofobia deve ser fortemente combatida não somente no futebol, mas em todos os setores da sociedade e nada melhor que o esporte mais popular do Brasil para dar o exemplo.

Comentários

Deixe uma resposta