Universidade do Futebol

Colunas

15/11/2016

O peso da camisa amarela

O Borussia Dortmund pode até não representar a mesma tradição que grandes times europeus, mas merece um reconhecimento diferenciado pelas conquistas sólidas obtidas dentro e fora de campo

Não, o tema não é a seleção brasileira de futebol, apesar da esperança renovada com os últimos resultados e pelo novo rumo tomado desde o anúncio de chegada do técnico Tite.

Estamos falando do Ballspiel-Verein Borussia 1909 ou, como é popularmente conhecido, o Borussia Dortmund. O clube pode não ostentar a mesma tradição de gigantes europeus como Real Madrid, Barcelona, Juventus, Manchester United ou Bayern de Munique, mas até por isso merece um reconhecimento diferenciado pelas conquistas sólidas obtidas dentro e fora de campo.

O clube autodefine o seu DNA em quatro palavras: intensidade, autenticidade, coesão e ambição. A intensidade está na energia e emoção profunda que carrega, ilustrada nas suas fortes e intensas cores amarelo e preto. A autenticidade é a forma que a sua história está conectada com a sua cidade natal Dortmund, representando os valores dos cidadãos dessa região do país. A coesão possui relação direta ao amor incondicional de seus fãs que enxergam o clube como extensão de suas casas e famílias. E a ambição transmite a crença de trabalhar para que o clube obtenha sucesso e conquiste títulos que honrem a paixão de seus torcedores. Todas as ações realizadas pela gestão e marketing do clube são baseadas nesses quatro pilares.

A história do Borussia Dortmund tem início em 1909. Os primeiros êxitos de maior expressão ocorreram nos anos 50 e 60, passando por fases conturbadas durante as duas décadas seguintes, período que transitou pela segunda divisão alemã. A década de 90 marca a entrada do clube no seleto grupo de grandes clubes mundiais, conquistando 3 Campeonatos Alemães, 1 Champions League e o troféu da Copa Intercontinental.  Foi nesse momento que o clube  apostou na ampliação e reforma do Westfalenstadion para que esse se transformasse no maior estádio da Alemanha (hoje é chamado de Signal Iduna Park em referência ao nome da empresa que adquiriu o naming rights do estádio até 2021).

Os altos investimentos realizados foram responsáveis por uma grave crise financeira no início desse século, quando muito se falou até em falência do clube. Ao mesmo tempo, enfrentar a turbulência ajudou na construção do que o clube é hoje, com um modelo de gestão moderno, eficiente e focado em manter o seu DNA junto aos fãs.

O Borussia Dortmund foi o primeiro clube da Bundesliga a entrar na Bolsa de Valores em 2000. Apesar das oscilações, conseguiu alcançar boa estabilidade após o saneamento financeiro das dívidas.

No último estudo “Football Money League” realizado pela Deloitte, o clube aparece como o 11º no ranking, totalizando receita de €280 milhões, o dobro do que havia obtido em 2011. Já no estudo “The Business of Soccer” da Forbes, também aparece na mesma 11ª posição.

O número mais impressionante é, sem qualquer dúvida, a média de público em seus jogos. Na última temporada 2015/16 alcançou surpreendentes 81,1 mil pessoas por jogo, a maior média de público no futebol europeu em uma cidade com 600 mil habitantes (claro que essa paixão traz cada vez mais interessados em conhecer essa magia de todos os cantos da Alemanha, Europa e mundo).

O clube conhece profundamente os seus fãs e transforma isso em uma grande marca. A torcida é famosa pela festa que faz a cada jogo e o clube não mede esforços para atendê-los, adaptando o estádio conforme as exigências do campeonato que participa. Para os jogos da Bundesliga, uma parte do estádio tem suas cadeiras retiradas para que a Muralha Amarela, apelido dada à torcida que fica no Setor Sul do estádio, possa ficar em pé e vibrar com maior liberdade e afinco. Já durante os jogos da Champions League, o regulamento da UEFA exige que todos os lugares disponíveis tenham cadeiras, portanto há toda atenção logística para que tudo funcione, pois muitas vezes o time joga no sábado pela Bundesliga e, logo na outra terça-feira, disputa uma partida decisiva da Champios League com o estádio remodelado.

Todo esse trabalho tem reflexo direto no crescimento de sua torcida. O Borussia Dortmund possui hoje a segunda maior da Alemanha, ficando somente atrás do gigantesco Bayern de Munique e superando clubes com torcidas muito tradicionais, como o seu maior rival, Schalke 04.

Segundo dados da pesquisa realizada pela Sport + Markt em 2013, o clube possui cerca de 6 milhões de torcedores, números discretos se comparados ao que temos aqui entre os maiores clubes do país. Porém, além da frequência altíssima do público em todos os jogos, também possui um número bastante representativo de sócio-torcedores, alcançando 130 mil contribuintes e sendo o 6º clube no mundo nesse ranking, além de um ótimo nível de engajamento nas redes sociais, com 15 milhões de curtidas no Facebook, 3,1 milhões de seguidores no Instagram e 2,38 milhões no Twitter.

Esse nível de envolvimento traz reflexo direto para o sucesso comercial do clube. Hoje são 30 marcas parceiras em diferentes categorias de patrocínio que contribuem com €144 milhões para investimentos necessários em uma equipe competitiva que tenha condições de enfrentar de frente as grandes potências europeias.

Para que esse sucesso individual do clube conquiste tamanha proporção, é necessário que o campeonato que participa tenha um ótimo nível de qualidade. Nesse aspecto, o Borussia Dortmund está bem respaldado, uma vez que a Bundesliga (Liga Alemã) é um modelo de referência a ser seguido, pois garante todas as ferramentas necessárias para que os clubes extraiam o máximo de seu potencial dentro e fora de campo.

Vale  a pena conferir o vídeo que mostra a conexão entre o time e a torcida. No início do ano, após um triste episódio com o falecimento de um torcedor em decorrência de um ataque cardíaco dentro do estádio, os jogadores participam da homenagem emocionante ao som de “You´ll never walk alone”: (Fonte: Bundesliga)

Comentários

Deixe uma resposta