Universidade do Futebol

Eduardo Barros

28/04/2014

O Placar Semanal e a Cultura de Vitórias

O jogo é o produto final de todo clube de futebol. São os 90 minutos (ou menos, em partidas das categorias de base) mais importantes da semana e, na maioria das vezes, reflexos daquilo que se construiu durante os treinamentos.

Há alguns anos, quando ainda trabalhava no Paulínia FC, sob coordenação de Lucas Leonardo, o Departamento de Pedagogia do clube criou uma planilha com o objetivo de escancarar o desempenho de cada uma das categorias em competição. Se para muitos controles do clube como scouts qualitativos e quantitativos (obtidos através de relatórios, outras planilhas, softwares e/ou filmagens) o objetivo era analisar o desempenho de cada categoria nos quatro momentos do jogo, esta planilha preocupava-se com a divulgação de uma componente muito importante e, culturalmente, maior que qualquer aplicação de um Modelo de Jogo: o resultado.

Poder visualizar após as rodadas do final de semana o desempenho (de resultado) de cada uma das categorias através de um Placar Semanal era um procedimento simples, mas que tinha o intuito de fazer com que cada equipe se sentisse inserida e relevante no macroprojeto do clube.

Alguns anos se passaram e a Planilha ganhou algumas modificações. A principal delas se refere à distribuição de pesos diferentes para cada uma das categorias. Sendo assim, do sub-11 ao Profissional a distribuição dos pesos de acordo com a importância subjetiva de cada equipe se dá da seguinte maneira:

• Sub 11: Peso 1
• Sub 12: Peso 1,5
• Sub 13: Peso 2
• Sub 14: Peso 2,5
• Sub 15: Peso 3
• Sub 17: Peso 4
• Sub 20: Peso 5
• Profissional: Peso 10

Abaixo, um exemplo da planilha desconsiderando as Categorias sub-12 e sub-14, não oficiais na Federação Paulista de Futebol:


Os campos Jogos, Gols Pró, Gols Contra, Saldo de Gols, Pontos Disputados, Pontos Feitos, Aproveitamento e Total, são completados automaticamente a partir do preenchimento das células correspondentes aos placares das partidas. Em caso de vitória, ocorrerá a alteração automática das células referentes aos pontos feitos. O mesmo para os casos de empate e derrota.

Os demais campos (Vitórias, Empates, Derrotas, Data, Competição, Rodada, Adversário e Local) precisam ser devidamente preenchidos.

Na sequência, um exemplo da planilha preenchida após uma situação hipotética de rodadas do final de semana:

O resultado de campo nunca deve ser a única variável analisada em um clube de futebol. Da mesma forma, em hipótese alguma (inclusive na formação), ele deve ser negligenciado. Jogar, na sua mais pura essência, nada mais é que uma constante busca humana pelo prazer, pelo vencer!

Que a planilha publicada na entrada do clube, que também pode ser divulgada nos e-mails de toda diretoria, conselho, funcionários, imprensa e, por que não, para a torcida através das redes sociais ou do site do clube, seja mais que um amontoado de números que promovam uma competição intercategorias. Que seja uma ferramenta que atue como um motor interno, que motive todo e qualquer funcionário na busca pelas vitórias. Afinal, o que realmente importa nos clubes de futebol não dura mais do que 90 minutos.

Aos interessados, o modelo de planilha apresentado na coluna estará disponível por e-mail.

Comentários

  1. Bruno disse:

    caro professor Eduardo, gostaria de ter acesso a planilha citada no texto.

Deixe uma resposta