Universidade do Futebol

Eduardo Barros

09/02/2013

O treinamento da organização defensiva

A construção dos comportamentos coletivos de organização defensiva pode ser feita de diversas maneiras. Com um treinamento em forma de situações de jogo, os atletas vivenciam um ambiente semelhante ao da competição e, dessa forma, podem estar mais preparados para responderem adequadamente a imprevisibilidade, inerente ao futebol.

Estudiosos da modalidade afirmam que defender organizadamente é pré-requisito para atacar bem, afinal, ao se cumprir com o objetivo da organização defensiva (recuperação da posse de bola) a equipe deve estar distribuída espacialmente de forma a facilitar a transição e organização ofensivas.

Dando continuidade às sugestões de regras para treinamentos que favoreçam um jogar de qualidade, tema abordado em quatro colunas ao longo do ano passado (parte I, parte II, parte III, parte IV), nesta semana as regras propostas pretendem levar ao aperfeiçoamento da fase defensiva.

Para aperfeiçoar o pressing setorial, lembrando da importância da manutenção da plataforma de jogo da equipe durante esta ação coletiva, seguem as sugestões de regras:

•Marcar o campo com diversos gols-caixote e dar ponto a equipe que conseguir efetuar um passe certo, ou então conseguir passar com a bola dominada, entre o gol caixote. Distribuir pelo menos quatro gols-caixote ao longo da mesma linha horizontal do campo de jogo. Na medida em que a equipe aperfeiçoar o mecanismo de pressão espaço-temporal, deve-se diminuir a distância vertical entre os gols-caixote. Proteger diversos gols caixote além do gol oficial induz os jogadores a subirem a linha de marcação de acordo com o setor em que iniciará as pontuações;

•Demarcar setores do campo em que, obrigatoriamente, o adversário deverá ter sido pressionado por mais de um jogador antes de efetuar o passe ou sair do setor com a bola dominada. Caso a pressão (espaço-temporal) não aconteça, a equipe que tem a posse de bola pontua;

•Demarcar setores do campo que, estrategicamente, são regiões em que a equipe tentará a recuperação da posse de bola. Recuperar a posse nestas regiões, ou o adversário errar um passe com ao menos um defensor na região (na tentativa de forçar o erro) no momento do passe, vale ponto para a equipe que defende;

•Qualquer troca de passe pra frente vale ponto para equipe que ataca. Se houver quatro passes consecutivos, a pontuação é dobrada. Esta regra pode ser realizada em toda a extensão do terreno de jogo, porém, aconselha-se utilizar a regra, inicialmente, em áreas menores;

Muitas vezes, as ações de reposição e bolas paradas relativamente distantes do gol geram surpresas fatais (que terminam em gols) à equipe que está se defendendo, pois a mesma demora a se organizar após a interrupção do jogo, seja pelo apito do árbitro, seja pela saída da bola.

A equipe ter um mecanismo coletivo defensivo que aumente a incidência de recuperações da posse neste tipo de situação pode ajudá-la a cumprir a Lógica do Jogo. Sendo assim, nos treinamento, deve-se punir a ineficiência desta ação defensiva, pois, com o jogo interrompido, a equipe tem condições de partir da organização no caótico sistema-jogo. E como defender é mais fácil do que atacar, a referida organização deve recuperar a posse de bola ou, no mínimo, afastar a bola do próprio alvo.

Abaixo, alguns exemplos de regras:

•Toda reposição no campo de defesa em que a equipe que estiver com a posse de bola conseguir ultrapassar o meio campo com a bola dominada, por condução ou passe é ponto. Esta regra obriga o rápido posicionamento da equipe sem bola próximo ao setor da reposição, neutralizando adversários e regiões perigosos;

•Toda reposição de lateral cobrada no campo de ataque verticalmente (no sentido da meta adversária) em que a equipe que está com a posse conseguir dominar a bola, vale ponto;

•Toda cobrança de falta na região intermediária de ataque (entre as linhas 2 e 3) em que a equipe conseguir trocar dois passes verticais, invadindo o último quarto do campo, equivalem a ponto. Esta regra induz à rápida organização defensiva, evitando cobranças curtas que terminem em cruzamentos ou finalizações.

•Aumentar a pontuação do gol sofrido a partir de situações de reposição e bolas paradas;

Todo treinamento deve promover o enriquecimento do nível de desempenho coletivo apresentado pela equipe. Com isso, pretende-se que todos os atletas consigam interpretar os problemas que acontecem no jogo da mesma forma e que as interpretações coincidam com aquilo que são suas ideias de jogo. Para facilitar a interpretação dos problemas defensivos por parte dos jogadores, dominar as referências como, regiões do campo, adversários, bolas paradas, reposições e própria meta, será indispensável.

Se este processo for respeitado, seguramente, passos importantes para a vitória estarão sendo dados, pois, ratificando, defende-se bem para atacar melhor!

Para interagir com o autor: eduardo@universidadedofutebol.com.br

 

Comentários

Deixe uma resposta