Universidade do Futebol

Colunas

02/04/2019

Red Bull Brasil e Bragantino: futebol do Brasil energizado

O universo do futebol do Brasil foi surpreendido com as negociações para que Red Bull Brasil e Clube Atlético Bragantino passem a trabalhar juntos brevemente. Em que sentido isso pode ser bom para o futebol do Brasil?

Na semana que passou recebemos a notícia das negociações entre Red Bull Brasil e Clube Atlético Bragantino. Com isso, a equipe da empresa de energéticos assume o futebol do time de Bragança Paulista. Muito se falou que o Red Bull seria parceira do Bragantino. Não vai ser bem assim. Pelos negócios que esta empresa possui pelo mundo, ela não entra pra ser parceira. Ela entra para ser dona.

Red Bull Brasil e Bragantino em jogo pelo campeonato paulista. (Foto: Divulgação)

 

E são esses ventos de mudança que podem atingir o futebol do Brasil em breve. Entrar para ser o dono. Ora bem, o clube também é dono do seu produto, que é o jogo de futebol. O Red Bull nos principais escalões do futebol do Brasil terá o seu produto valorizado, certamente atrairá mais público e interessados em seus jogos. Aumentará a demanda e isso faz com que a instituição tenha mais controle sobre o que é ou não comercializado.

Ademais, o Red Bull em um primeiro momento não precisará da renda da televisão. Se vier precisar! Existem outras fontes para recorrer. No entanto, mesmo com a história recente, são reconhecidos pelo planejamento estratégico e filosofia de trabalho. Foi assim que eles chegaram desde lá embaixo para o topo do futebol de São Paulo, sem grandes extravagâncias.

Agora querem o do Brasil.

Com as características acima, a presença do Red Bull na elite do futebol do Brasil (vai entrar na série B) pode incentivar a mudança em termos de gestão e marketing do futebol. Luta-se pela sustentabilidade do esporte no Brasil, com investimentos privados aplicados com método, e executados com transparência e retidão, por profissionais, para que se adquira a credibilidade necessária a fim de que o investimento se mantenha ou aumente. Se não for assim, “a conta não vai fechar” e diariamente vemos vários exemplos disso em diversas organizações esportivas pelo Brasil, que se licenciaram, estão endividados e, até mesmo, fechados. Como o membro da família Chedid (historicamente ligada ao Bragantino) disse: aceitou a proposta do Red Bull para que o clube não fosse à falência.

Portanto, já não se vive do passado e das glórias de outrora. Para evoluir, é preciso romper paradigmas. O Red Bull na elite do Brasil pode ser este – bom sinal de – rompimento.

——-

Em tempo mais uma frase relacionada à Gestão e Marketing Esportivo:

Cada vez que um torcedor vai a uma loja oficial do Corinthians, está contribuindo para que o Timão tenha maiores receitas, e assim, investir mais na aquisição de jogadores ou em melhorias do clube

Andrés Navarro Sanchez, presidente do SC Corinthians Paulista, em frase colocada no anúncio das lojas “Poderoso Timão” durante seu primeiro mandato.

Comentários

Deixe uma resposta