O poder do futebol – Parte II

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Caros amigos da Universidade do Futebol,

Já comentamos neste espaço sobre a grande dimensão do futebol, adquirida nas últimas décadas, e sobre o poder que o futebol exerce na nossa humanidade como um todo. Isso muitas vezes pode ser utilizado para boas ações, como reinserção social de determinadas comunidades, promoção da educação através do esporte, desenvolvimento de conceitos de moral e cívica, etc.

Hoje, ressaltamos os impactos negativos que o futebol pode gerar, pela utilização inadequada da sua popularidade. E para exemplificar essa questão, citamos os atos de barbárie ocorridos na Itália no jogo realizado entre Itália e Sérvia.

Pela apuração dos fatos, tudo leva a crer que as ações dos “torcedores” sérvios tinham a clara missão de divulgar mensagens políticas pela reconstrução da chamada “Grande Sérvia”, com a reanexação de territórios como Kosovo.

Não é nenhuma novidade a utilização do futebol para fins políticos. Isso já ocorreu diversas vezes na história, como na Copa da Itália de Benito Mussolini. O contrário também: o futebol já foi utilizado para resolver questões políticas, como, por exemplo, a exclusão da África do Sul para forçar o término das práticas racistas realizadas pelo governo do apartheid.

Mas como fica o papel do órgão regulador do futebol, naquele caso específico da Itália vs. Sérvia, a Uefa? Como resolver essa situação?

Deveria a Uefa deixar esse episódio para ser tratado exclusivamente pelas autoridades públicas, limitando-se a decidir um placar justo para a partida? Ou deveria também punir a equipe da Sérvia como medida para coibir e manifestar a repudia contra a violência de seus torcedores?

Caso não houvesse outras manifestações por trás do puro fanatismo excessivo, não tenho dúvidas que a Uefa deveria punir a Sérvia, e eventualmente apurar responsabilidades de segurança dos mandantes da partida.

Entretanto, tendo em vista que pode ter havido um “envio” de manifestantes por parte de outras entidades ou organizações não ligadas ao esporte com o exclusivo fim de utilizar o futebol para escancarar ao mundo as suas reivindicações, imagino que uma punição à equipe da Sérvia, além da perda da partida, seria algo mais delicado e merecedor de outras ponderações.

O importante é que se encontre (sempre em colaboração com autoridades públicas) alternativas para coibir essa utilização do futebol para fins escusos, o que, além de manchar a imagem do jogo bonito, também pode provocar mortes e/ou graves acidentes.

Para interagir com o autor: megale@universidadedofutebol.com.br 

+ posts

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pinterest

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

Mais conteúdo valioso