Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Caros amigos da Universidade do Futebol,

é chegado o Natal, e com ele o espírito de nascimento, união e confraternização. É com esse espírito que escrevo a coluna desta sexta-feira.

Vivemos um momento crítico do futebol profissional no Brasil. Um momento em que precisamos vencer uma série de conflitos internos, problemas crônicos de nosso esporte, em vistas a organizar uma Copa do Mundo e de propiciar, em definitivo, uma melhor vida aos nossos torcedores e um melhor produto para nossos clubes e campeonatos.

É momento de união. Temos que superar diferenças históricas para juntarmos forças e termos um campeonato mais bem organizado, com estádios mais modernos.

Precisamos promover a segurança nos estádios. Para isso, não basta apenas um policiamento mais eficaz, mas também torcedores que respeitem as leis e normas e que não promovam a violência e o vandalismo. É preciso haver colaboração entre poder público e sociedade civil, para afastar as mazelas dos estádios.

Temos também que promover jogos mais atrativos, com nossos craques presentes em campos brasileiros. Para isso, CBF, federações locais e clubes devem se esforçar em conjunto para propiciar melhores condições para os nossos jogadores. Impossível manter todos os principais craques, isso é certo em qualquer profissão; mas o Brasil, com o atual cenário da economia local, tem condições de segurar e repatriar grandes nomes. Novamente a união é fundamental.

A mídia também desempenha um papel fundamental e deve funcionar como viabilizador de novos patrocinadores ao esporte (e não uma barreira para eles). O futebol precisa da mídia, mas o inverso também é verdadeiro e precisa ser reconhecido e refletido nos contratos. Para se chegar a um denominador comum, o diálogo é fundamental.

Resta ainda mencionar o poder público, que desempenha papel fundamental dentro do sistema do futebol. Esse esporte bretão possui uma função social importantíssima na sociedade brasileira, e é por isso que nosso governo deve continuar atento para que os atrativos financeiros existam, mas nunca desvirtuem a função de inserção social, lazer, entretenimento e, principalmente, educacional do futebol.

Enfim, que todos entrem em campo e joguem juntos, com o espírito natalino, para que o nosso futebol brasileiro possa ser o número um, não só dentro de campo, como também fora dele.

Vamos batalhar juntos para que a Copa do Mundo da Fifa de 2014 seja um catalisador de toda essa evolução.

Feliz Natal a todos!

Para interagir com o autor: megale@universidadedofutebol.com.br  

+ posts

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pinterest

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

Mais conteúdo valioso