Perspectivas de 2022 para o futebol brasileiro

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Crédito imagem: Vitor Silva/Botafogo

Fazer projeções em algo tão subjetivo, aleatório e caótico como o futebol pode ser uma das missões mais ingratas e com maiores probabilidades de erro do mundo! Porém, ao mesmo tempo, é condição obrigatória para quem se propõe a analisar o esporte mais praticado no planeta buscar justamente os elementos mais concretos que aumentem as tais probabilidades de êxito. 

No futebol brasileiro é muito claro que, mais do que nunca, terão sucesso os clubes mais estáveis política e financeiramente. Tanto que em um primeiro momento o que chama a atenção quando um clube “vira” empresa é o montante de dinheiro injetado. Contudo o mais fundamental, e que norteará um caminho longevo de conquistas, é a estabilidade e o profissionalismo que esse dinheiro com o nome e sobrenome do dono-investidor exige. Uma breve recapitulada em quem vem conquistando algo relevante no Brasil já aponta como rota o profissionalismo na gestão da política interna com a boa administração financeira, em buscar mais receitas e gastar não mais do que é possível.

Dentro das quatro linhas, com a figura destacada dos treinadores, pontuo qualidades como flexibilidade, resiliência e comunicação para uma comissão técnica ter mais chances de triunfar. Flexibilidade para se adaptar ao contexto, ao cenário e, sobretudo, às características dos jogadores a disposição para a partir deles dar vida a ideias e conceitos de jogo. Resiliência para não se abalar em momentos de instabilidade (e eles com certeza existirão) já que o futebol brasileiro, e todos os seus agentes, é pródigo em moer, triturar e dispensar profissionais na primeira intempérie que acontece. E, por fim, a comunicação que é fundamental para amenizar essas críticas, que são externas, mas também internas: treinadores que são hábeis em gerir bem o que transparece dos seus trabalhos conseguem um prazo maior para mostrar o que realmente importa que é a própria competência do trabalho. Sem uma comunicação assertiva nem o profissional mais qualificado consegue ser bem-sucedido no instável futebol brasileiro.

Não há receita em algo tão subjetivo como o futebol e a verdade de hoje se torna falsa amanhã. Posso fazer a projeção do ano que for, mas no longo prazo estou certo de que o que fará a diferença, como é em toda área da vida, é a preocupação individual com a melhoria contínua, a excelência no dia a dia, e uma mente blindada para continuar perseverando mesmo quando o mundo toda duvida de você. Um feliz ano a todos nós!

+ posts

Jornalista, apresentador e reportér de radio e televisão. Egresso de cursos da Universidade do Futebol, Marcel reflete sobre o jogo a partir da perspectiva do pensamento sistêmico.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pinterest

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

Mais conteúdo valioso