Universidade do Futebol

Colunas

19/06/2018

Análise do Jogo: Brasil 1-1 Suíça

Seleção Brasileira estreou na Copa do Mundo 2018 com um empate em 1 a 1 contra a Suíça, em partida disputada na Rostov Arena

Confira a análise dos gols da partida (o vídeo acima contém imagens da emissora Mediaset e FIFA).

 

A organização, competitividade e a boa qualidade do adversário, aliado à ansiedade e ao nervosismo gerado pela estreia e necessidade de vencer, fizeram com que a seleção não conseguisse repetir as últimas atuações e o padrão de jogo que estamos acostumados a ver na era Tite.

Não foi o jogo de largos períodos de posse de bola, do famoso “perde-pressiona” (uma consequência natural do aspecto anterior) que na maioria das vezes produz a rápida retomada da bola e a continuidade do ataque anterior, nem foi o jogo em que só o Brasil jogou e não deixou a Suíça jogar.

Ainda assim, a seleção mereceu a vitória. Defensivamente sofreu pouquíssimo e ofensivamente criou muitas chances de gol, tanto na bola parada (que voltou a funcionar), como com a bola rolando, mas falhou na hora de converter.

A equipe treinada por Tite alinhou no já esperado 1-4-3-3, com Philippe Coutinho iniciando no meio-campo ao invés de Fernandinho, deixando a seleção mais leve, imprevisível e criativa, dando mobilidade, 1×1 ofensivo e chegadas à área.

Diante de uma Suíça bem organizada defensivamente e postada no 1-4-4-1-1, o Brasil teve em Philippe Coutinho um homem chave no momento ofensivo.

A organização defensiva da seleção suíça no 1-4-4-1-1 permitiu que o inteligente meia-ofensivo Dzemaili fizesse a leitura das situações e mantivesse a ocupação do espaço central (tal como na imagem) ou alternasse entre um 5º jogador na linha do meio campo e um 2º jogador na linha da frente, conforme a necessidade

 

Para ter acesso ao material completo, clique aqui.

Comentários

Deixe uma resposta