O fenômeno Micah Richards

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Aconteceu ontem o fato mais importante da história do futebol brasileiro na Inglaterra, que ultrapassa até o jogo do Sócrates pelo Garforth Town. No amistoso da seleção inglesa com a Holanda, um passo foi dado para a transformação completa do futebol britânico, motivado diretamente pela influência tupiniquim: estreou na partida, substituindo o delongo Gary Neville, o novo fenômeno do futebol inglês, Micah Richards.
 
Ok. Bacana. E que diabos o Brasil tem a ver com isso?
 
Aparentemente, nada. Micah Richards é um jogador do Manchester City, de 1,80m de altura, que em 12 jogos da Premier League marcou um gol e levou um cartão amarelo. Entretanto, e aí entra a sua importância histórica para o Brasil, Richards é o primeiro jogador da seleção inglesa a ser formado pela Brazilian Soccer School, uma escola de futebol sediada na ilha britânica que se dispõe a ensinar seus alunos com os mesmos métodos aplicados em terras brasileiras, e isso se resume basicamente a trocar a bola normal pela bola de futebol de salão.
 
A Inglaterra, sabe-se muito bem, possui um grande apego às suas tradições futebolísticas, principalmente com relação ao método de treinamento e ao esquema tático, ambos bastante focados na coletividade e no desenvolvimento físico. Uma das primeiras frases do recém-lançado livro “The Italian Job”, escrito pelo italiano Gianluca Vialli, ex-jogador e técnico do Chelsea, pergunta: “Qual é o esquema que existe entre os ingleses e o 4-4-2?”, numa clara referência ao esquema tático empregado por quase todos os times em quase todos os níveis de quase toda a Inglaterra. Por isso, a Brazilian Soccer School pode ser entendida como uma revolução na idéia de construção do ideal inglês de futebol.
 
O projeto da Brazilian Soccer School é de autoria do jovem de trinta e poucos anos Simon Clifford. Ele é um dos personagens mais polêmicos do futebol inglês, que nunca teve muita relação com o futebol brasileiro, até conhecer um atleta que jogava por aquelas bandas e vir ao Brasil para entender qual era o negócio dos brasileiros com o seu estilo de jogar e por que os melhores jogadores quase sempre surgiam por aqui. Após a visita, Clifford concluiu que a raiz de todo o sucesso brasileiro no mundo do futebol está diretamente atrelada ao futebol do salão.
 
Com isso em mente, voltou pra Inglaterra e abriu a Brazilian Soccer School, uma escola de futebol que foca a estrutura de seu ensino em três aspectos chaves: no futsal, na ênfase no desenvolvimento das habilidades individuais, e no maior tempo de treinamento. Aparentemente, a idéia vem dando certo. Só na Inglaterra são 600 escolinhas, que somam quase 200 mil alunos de idades de 5 a 16 anos. Fora da Inglaterra, são 11 países com pelo menos uma escolinha da Brazilian Soccer School.
 
Simon Clifford crê que irá revolucionar o futebol britânico. O primeiro passo foi criar a Brazilian Soccer School. Depois, comprou o pequeno time Garforth Town, que ficou bem conhecido quando contratou o Sócrates pra uma partida, e criou um planejamento a longo prazo para a equipe, que culmina com o título da Premier League em 2028. E agora, Clifford colocou um jogador da sua escola como titular da seleção inglesa.
 
Micah Richards, volto a dizer, é um fenômeno. É o jogador mais jovem da sua posição a ter pisado em campo com a camisa inglesa. É cria de Simon Clifford. É um jogador formado por uma escola que ensina o jeito brasileiro de se jogar futebol.
 
Curiosamente, Micah Richards é um zagueiro.

Para interagir com o autor: oliver@universidadedofutebol.com.br

+ posts

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pinterest

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

Mais conteúdo valioso